Exclusivo: confira os destaques e as novidades da 22ª Avaliação Nacional de Vinhos

Panorama apresentado no evento mostra que a safra deste ano no Brasil será de qualidade regular para boa, não excepcional.

Publicado em 29.09.2014

JS6_9279interna

>UVA Ancellotta, com duas amostras entre as 16 melhores, foi uma das surpresas deste ano (Fotos: Jeferson Soldi)

«Orestes de Andrade Jr.»

Com o carimbo de ser a maior degustação da bebida de Baco do mundo, a Avaliação Nacional de Vinhos é uma grande vitrina para as vinícolas e seus rótulos. Mesmo que não seja um concurso de caráter competitivo e as amostras sejam de vinhos ainda em elaboração, as vinícolas selecionadas ganham notoriedade sobretudo quando são escaladas entre as 16 mais representativas da safra. Este ano, além da degustação literalmente às cegas, a aparição de algumas vinícolas até então pouco conhecidas foi uma das marcas da vigésima segunda edição do evento promovido pela Associação Brasileira de Enologia (ABE), realizada neste sábado, dia 27 de setembro, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves (RS).

Muitos enófilos foram apresentados, pela primeira vez, às vinícolas Fazenda Nova Santa Rita (Campos de Cima da Serra), Giacomin (Flores da Cunha) e Góes (São Paulo). A grande novidade do ano passado, a Vinícola Monte Rosário – Vinhos Rotava, confirmou não ter ganho destaque à toa, retornando a figurar entre as 16 melhores amostras da safra com um Ancellotta. No ano passado, a empresa teve o seu Teroldego classificado entre os maiorais.

A exposição destas empresas remete ao que já ocorreu com outras – Almaúnica, Luiz Argenta, Campos de Cima, Gheller, Guatambu, Antônio Dias , Dezem e Don Guerino, por exemplo , que, de certa forma, foram reveladas ao mercado por meio da Avaliação Nacional de Vinhos.

Qualidade menor
Em geral, após degustar as 16 amostras expostas na ANV, a safra de 2014 apresentou menor qualidade em comparação à safra 2013. As notas foram mais baixas e nenhuma amostra encantou. Claro que é sempre bom esclarecer que muitos vinhos podem melhorar com o tempo, com a passagem por madeira, o amadurecimento e muitas amostras de vinícolas pequenas e médias sequer passam pelo crivo da ANV. Mas como panorama geral da safra, a conclusão é que a safra deste ano no Brasil será de qualidade regular para boa, não excepcional.

JS6_9465Uvas
Se no ano passado tivemos como novidade o surgimento de uvas exóticas entre as 16 melhores amostras, este ano prevaleceu a presença das variedades tradicionais Chardonnay, Merlot, Cabernet Sauvignon e Tannat. A exceção foi a Ancellotta, com duas amostras (Don Guerino e Monte Rosário), mesmo número da Merlot, a uva emblemática do Vale dos Vinhedos (Casa Valduga e Perini).

O bom desempenho de cepas incomuns como Teroldego, Marselan, Cabernet Franc e Sauvignon Blanc na ANV de 2013 teve a repetição, apenas, da Cabernet Franc (Vinícola Góes). A Tannat, que ficara de fora no ano passado, retornou este ano (com a Valmarino), mas não conseguiu repetir o desempenho de 2012, quando apareceu com duas amostras entre as 16.

A categoria Branco Fino Seco Aromático voltou a trazer novidades. Depois de ser dominada por quatro anos pela uva Moscato (sempre pela Perini), a emergente Sauvignon Blanc (Miolo) foi a melhor em 2013. Este ano, emergiu a Moscato Giallo (Vinícola Giacomin).

Na categoria Branco Fino Seco Não Aromático, a Vinícola Góes e Venturini e a Cooperativa Vinícola Nova Aliança repetiram o resultado de 2013, classificando uma amostra de Chardonnay. A Góes e Venturini, de Flores da Cunha, aliás, é campeã nesta categoria, com seis conquistas, sempre com a rainha das uvas, Chardonnay.

JS6_9184A presença da uva Riesling Itálico voltou a exemplo do ano passado, só que, desta vez, pela Vinícola Salton, e não pela Aurora, que comemorou a distinção recebida com a Cabernet Sauvignon.

Nas três amostras de bases de espumantes, as tradicionais elaboradoras de borbulhas Domno (Chardonnay), Chandon (Riesling Itálico/Chardonnay/Pinot Noir) e Geisse (Chardonnay/Pinot Noir) dominaram. Chandon e Geisse, inclusive, repetiram o desempenho do ano passado, sendo destaque entre as amostras de base de espumantes.

Participação menor
A 22ª Avaliação Nacional de Vinhos teve 290 amostras de vinhos inscritas, uma queda de 6% em relação às 309 do ano passado. Participaram desta edição do evento 58 vinícolas, ante 63 de 2013. Em 2012, a ANV teve a inscrição de 387 amostras de 70 empresas. Segundo o vice-presidente da ABE, Leocir Bottega, o número de amostras representa a qualidade da safra. “Em anos com clima mais favorável, temos mais amostras inscritas”, explica.

OS 16 VINHOS REPRESENTATIVOS DA SAFRA 2014

>Categoria: Vinho Base Para Espumante

1. Vinho Base Espumante – Chardonnay – Domno do Brasil
2. Vinho Base Espumante – Chardonnay/Pinot Noir/Riesling Itálico – Chandon do Brasil
3. Vinho Base Espumante – Chadonnay/Pinot Noir – Vinícola Geisse

>Categoria: Branco Fino Seco Não Aromático

4. Riesling Itálico – Vinícola Salton
5. Chardonnay – Vinícola Fazenda Nova Santa Rita
6. Chardonnay – Vinícola Góes e Venturini
7. Chardonnay – Cooperativa Vinícola Nova Aliança

>Categoria: Branco Fino Seco Aromático

8. Moscato Giallo – Vinícola Giacomin

>Categoria: Tinto Fino Seco Jovem

9. Cabernet Sauvignon – Giacomin Indústria de Bebidas – Vinhos Hortência

>Categoria: Tinto Fino Seco

10. Cabernet Franc – Vinícola Góes (SP)
11. Merlot – Vinícola Perini
12. Merlot – Casa Valduga
13. Cabernet Sauvignon – Cooperativa Vinícola Aurora
14. Ancellotta – Vinícola Don Guerino
15. Ancellotta – Vinícola Monte Rosário – Vinhos Rotava
16. Tannat – Valmarino

JS6_9424
OS 16 VINHOS REPRESENTATIVOS DA SAFRA 2013

>Categoria: Vinho Base Para Espumante

1. Vinho Base Espumante – Chardonnay – Casa Valduga Vinhos Finos
2. Vinho Base Espumante – Riesling Itálico / Chardonnay / Pinot Noir – Chandon do Brasil
3. Vinho Base Espumante – Pinot Noir – Vinícola Geisse

>Categoria: Branco Fino Seco Não Aromático

4. Riesling Itálico – Cooperativa Vinícola Aurora
5. Chardonnay – Cooperativa Vinícola Nova Aliança
6. Chardonnay – Luiz Argenta Vinhos Finos
7. Chardonnay – Vinícola Góes e Venturini

>Categoria: Branco Fino Seco Aromático
8. Sauvignon Blanc – Vinícola Miolo

>Categoria: Tinto Fino Seco Jovem

9. Cabernet Franc – Vinícola Salton

>Categoria: Tinto Fino Seco

10. Merlot – Bueno Bellavista Estate
11. Cabernet Sauvignon – Rasip Agropastoril
12. Malbec – Vinícola Almaúnica
13. Marselan – Vinícola Dom Cândido
14. Teroldego – Vinícola Don Guerino
15. Teroldego – Vinícola Monte Rosário – Vinhos Rotava
16. Merlot – Vinícola Perini

SAIBA MAIS

>Inédita degustação literalmente às cegas marca a 22ª Avaliação Nacional de Vinhos

>Carlos Paviani, do Ibravin, recebe o Troféu Vitis Amigo do Vinho Brasileiro

 

 

Sobre o autor

Orestes de Andrade Jr.
Orestes de Andrade Jr.

Sou jornalista, pai do Pietro, colorado, marido da Elisângela Hesse e apreciador de vinhos, cerveja e cachaça artesanal, não necessariamente nessa ordem. Este blog foi criado para registrar matérias que merecem ser guardadas. São pautas de guarda, tão em desuso na imprensa atual, mais interessada em definir espaços (minúsculos) do que trazer boas histórias. Aqui, não vou me preocupar em postar textos pequenos, fáceis ao leitor da internet. Acho que ainda há interessados em pautas de guarda, assim como há quem goste de vinhos de guarda.

Posts Relacionados